Educação financeira será disciplina em 2020 nas escolas do Brasil
Janeiro | 2020

Por Angélica Weise

Educação Financeira é disciplina obrigatória nas escolas em 2020. E por que? E qual a importância? Vamos acompanhar o texto para saber mais.

Em 2020 as escolas terão uma nova disciplina: educação financeira. A confirmação foi dada pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Ou seja, as escolas de Educação Infantil e Ensino Fundamental, tanto as escolas públicas quanto as privadas terão até o fim do ano para implementar todas as alterações exigidas.

O ensino será de forma transversal. Ou seja, a disciplina pode estar tanto em aulas de matemática como história, português, geografia etc. Tal inclusão da disciplina no currículo vai ao encontro de estatísticas que mostram que o Brasil precisa de educação financeira.

Conforme a BNCC, no ensino agora “podem ser discutidos assuntos como taxas de juros, inflação, aplicações financeiras (rentabilidade e liquidez de um investimento) e impostos”.

Ainda segundo a BNCC "o ensino de educação financeira é importante em diversas questões, sejam elas rurais, sociais, psicológicas, políticas e econômicas sobre as questões do consumo, trabalho e dinheiro: “favorece um estudo interdisciplinar envolvendo as dimensões culturais, sociais, políticas e psicológicas, além da econômica, sobre as questões do consumo, trabalho e dinheiro”.

Por que estudar a educação financeira nas escolas?

Infelizmente parte da população brasileira está endividada. Conforme a pesquisa do SPC https://www.spcbrasil.org.br/ em associação com a CNDL  41% da população está endividada. Isso mostra a necessidade de mudança cultural que já deve ser iniciada na escola.

Hoje as pessoas sabem gastar, mas não sabem economizar, e ainda investir. Tesouro direto, renda fixa, taxa Selic são palavras totalmente desconhecidas para inúmeras pessoas.

Mesmo com o acesso a internet, a sociedade em geral tem dificuldade para lidar com o dinheiro. Os jovens e idosos estão no topo da lista das pessoas mais endividas do Brasil.

Pelo fato de até hoje a educação financeira ainda não fazer parte da maioria das grades curriculares, isso de certo modo contribuiu para o endividamento e a inadimplência da população brasileira.

Fora isso, a utilização da educação financeira é durante toda a vida. Desde calcular compras de mercado, a realização de uma faculdade, os juros ao comprar um carro ou casa, aplicação na poupança, entre outros.

Realmente não podemos deixar de ver a importância que a educação financeira tem em nosso dia a dia. Sabendo lidar com dinheiro, conquistamos mais independência e dessa forma podemos ajudar todos ao nosso redor.

Como a educação financeira pode ajudar os alunos?

Assim como outras disciplinas que são importantes na grade curricular, a educação financeira ocupa um papel central, visto que se o aluno aprender desde a infância vai chegar à vida adulta e conseguir lidar com as finanças pessoais, ou pelo menos sabe de que forma.

É muito comum entre os jovens a não preocupação com o futuro, pois acham que ele está muito longe, mas o tempo passa rápido. Para qualquer compra é necessária uma pesquisa, organização e planejamento, ainda mais se for algo de muito valor, como um carro, por exemplo.

Neste sentido, os jovens acreditam que a velhice não chega e que é preciso aproveitar o momento e não se preocupar com o futuro, porque não sabemos como vai ser. Acontece que tudo passa muito rápido. E se não houver um planejamento financeiro desde cedo, quando essa pessoa se aposentar vai perceber que apenas com o salário mínimo não terá condições de continuar vivendo aquele estilo de vida.

É necessário também uma mudança de paradigma em relação ao dinheiro. Muitas pessoas tem em mente que o dinheiro não presta. Mas ele é importante sim. Para pagar as suas contas, permitir viver uma vida tranquila, usufruir de bens, poder viajar e proporcionar a família bons momentos.

E quando se fala em poupar, não podemos achar que iremos deixar de viver o presente. É possível sim aproveitar a vida e ainda sim poupar e investir.

E como é tão fácil ter acesso a uma linha de crédito hoje, a sociedade precisa analisar com cautela as oportunidades para não acabarem endividadas. É preciso uma mudança no perfil do consumidor e essa mudança pode ser dada com a implementação da educação financeira nas escolas.

Isso é oportuno para que quando forem adultos não acabem entrando em um ciclo viciante e sem saída, culminando muitas vezes em estresse e depressão.

Ferramenta que podem ajudar

As ferramentas online hoje estão disponíveis para todos os segmentos. Elas são ótimas para quem quer organizar o seu planejamento financeiro, por isso existem plataformas online e gratuitas para auxiliar.  O SPC, por exemplo, tem um site chamado Meu bolso feliz. O consumidor pode-se valer da ferramenta e organizar as finanças.

Já para as crianças, o jogo “Tá osso”, é um game para ajudar a lidar com o dinheiro. Os pais podem mostrar a elas e falar sobre dinheiro desde pequenas.

E se você professor também quer organizar as finanças e precisa de mais tempo em seu dia a dia, nós indicamos outra ferramenta que também vai te ajudar a ter mais tempo, e assim, ficar de olho nas finanças e curtir bons momentos ao lado da família. Estamos falando da ferramenta online Prova Rápida.

É uma plataforma web para gestão, elaboração e correção de provas. São inúmeras as vantagens desta ferramenta. Primeiro, o tempo que você vai economizar. E mais, você elimina a chance de erro causada por correção humana. O que pode ocorrer principalmente quando o professor está diante de uma rotina cansativa e exausta.

Através do Prova Rápida,  terá acompanhamento dos resultados de um aluno. Você pode acessar de qualquer lugar. Além de ajudar na correção, essa ferramenta também permite a criação de um banco de questões.

E você professor? O que achou dessa medida?

 

Tags:
prova rápida
educação financeira
ferramentas educativas
educação