Como solicitar verbas para investimentos na infraestrutura da escola e demais projetos
Outubro | 2019

Por Angélica Weise

O orçamento enxuto de muitas escolas é uma realidade. Isso colabora para que muitos projetos e ideias acabem não saindo do papel. Inúmeros projetos que poderiam transformar a realidade escolar não ocorrem.

Normalmente a verba nas escolas vem através do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE). E para ser solicitado, o diretor precisa estar atento ao prazo de solicitação que costuma ser do último dia de outubro e o último dia útil de janeiro do ano subsequente ao do recebimento dos recursos.

Então, não podemos fugir da constatação que verbas bem aplicadas na escola, podem trazer ótimos resultados. Tanto, como o uso de mais recursos disponíveis aos alunos, como também recursos para atividades pedagógicas fora da escola, e até mesmo a implantação na prática dos projetos idealizados no papel.

Sem dúvida, é necessário o uso de verbas. E quando não é o suficiente, pode acabar prejudicando o desempenho das atividades escolas. Claro que também uma boa gestão é importante para organizar as contas, mas há outras formas de aumentar os recursos. Confira no texto!

Financiamento coletivo nas escolas

Outra forma de pedir verba para as escolas é através do financiamento coletivo. Essa atividade tem sido recorrente em muitas escolas. Inclusive a minha dissertação que defendi pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), foi resultante desse tema.

Intitulada “Cultura participativa e financiamento coletivo: um estudo dos projetos educacionais na plataforma Catarse”, essa dissertação teve como objetivo averiguar o financiamento coletivo de projetos educacionais que foram viabilizados em rede pela plataforma Catarse. Foram mapeados os sites, em específico o Catarse, um dos maiores do Brasil. O período de coleta de dados foi de projetos do ano de 2011 a 2016.

Em questão, foi feita a entrevista com os idealizadores de projetos na área da educação, e percebeu-se que muitas escolas participaram do financiamento de coletivo, solicitando recursos para a escola, desde materiais físicos ou até mesmo dinheiro para tirar projetos do papel. Percebeu-se a importância que o financiamento coletivo ocupa, em especial nas escolas, quando essas carecem de verba para fazer algo.

Mas também pode-se perceber que não basta apenas inserir o projeto no site e achar que o valor será arrecado sem algum engajamento. É necessário todo o envolvimento de alunos e comunidade escolar para a divulgação desses projetos, e para conseguir pessoas que apoiem a causa com valor mínimo de 10 reais, mas podendo ultrapassar os 100 reais.

Se você professor, e sua escola se interessam por financiamento coletivo, é interessante ler mais a respeito sobre o tema. E se precisarem, também posso tirar dúvidas a respeito. O interessante do financiamento coletivo é que toda comunidade acaba se envolvendo para que o projeto sai do papel.

Como planejar o uso do dinheiro nas escolas?

Planejar o uso do dinheiro é fundamental para que a escola esteja em dia com o seu caixa, e ainda consiga oferecer aos alunos uma boa estrutura e até mesmo a possibilidade da execução de projetos e ideias pedagógicas.

Por isso, mesmo que se tenha poucos recursos é possível realizar atividades que contribuem para atividades assim ministradas. Por exemplo, se não é possível fazer saídas da cidade pode-se pensar em explorar locais próximo a escola, dependendo da atividade.

Ai então entra em jogo o planejamento, a criatividade. Claro que toda a gestão escolar precisa ser planejada, para que as atividades tenham um fim pedagógico e não sejam apenas uma atividade sem retorno. Ela precisa ter um fim.

Pouca verba disponível

Se mesmo assim, a verba ainda for pouca, a gestão escolar pode tentar pedir ajuda da comunidade, e mais especificamente, empresas da região.

Também pode ser feito bolões, gincanas, venda de rifas. Nessa hora a criatividade e organização podem ajudar. O envolvimento da comunidade, dependendo de onde a escola está localizada pode ser importante.

Ter pouca verba disponível também não é sinônimo de que nada pode ser feito. Aproveite este período que a verba está mais apertada, para rever os gastos, conversar abertamente com os professores, escutar ideias e dicas. Talvez um planejamento já pode contribuir para que as despesas fiquem em dia e as ideias sejam colocadas em prática.

Ferramenta que diminui gastos da escola

A sua escola ainda gasta um valor com a impressão de provas? Se sim, sabia que você professor, e até mesmo o gestor podem diminuir este valor utilizando uma ferramenta online que elabora e corrige prova? Sim! Estamos falando do Prova Rápida!

É uma plataforma web para gestão, elaboração e correção de provas. São inúmeras as vantagens desta ferramenta. Primeiro, o tempo que você vai economizar. E mais, você elimina a chance de erro causada por correção humana. O que pode ocorrer principalmente quando o professor está diante de uma rotina cansativa e exausta.

Através do Prova Rápida,  terá acompanhamento dos resultados de um aluno. Você pode acessar de qualquer lugar. Além de ajudar na correção, essa ferramenta também permite a criação de um banco de questões.

E então? Como funciona o direcionamento de verba em sua escola? Você consegue colocar em prática muitos dos seus projetos? Ou é mais difícil? Conte para nós! Gostamos de trocar ideias!

 

Tags:
prova rápida;
planejamento escolar
financiamento coletivo