Educação domiciliar: desafios e projeções
Agosto | 2019

Por Angélica Weise

A educação domiciliar se tornou pauta quando o presidente Jair Bolsonaro assinou um decreto em abril deste ano que regulamenta a educação domiciliar no Brasil. (http://portal.mec.gov.br/component/content/article?id=75061). Vamos compartilhar neste texto mais informações sobre a educação domiciliar?

O que é educação domiciliar?

O homeschooling nasceu nos Estados Unidos nos anos 1970. Na educação domiciliar o aluno é ensinado em casa, pelos pais ou familiares, e este tipo de educação vem crescendo nos últimos tempos em países como Estados Unidos, Canadá, Austrália, Reino Unido, Irlanda, Áustria, Hungria, Finlândia, França, Dinamarca e Bélgica. 

A educação domiciliar surgiu em países para atender a demanda de pais que não estavam satisfeitos com o ensino aplicado nas escolas públicas e privadas. É a modalidade de ensino praticada em pelo menos 65 países.

Educação domiciliar? O que dizem os educadores?

É válido ressaltar que quando uma família opta pela educação domiciliar, busca ter maior controle sobre o aprendizado do filho. Mas isso não quer dizer que ela mesma vá ensinar, ela pode contar com ajuda de outros profissionais, porém supervisionando o que será estudado.

De fato, o assunto é cercado de polêmicas e divide opiniões entre instituições e educadores até hoje. Há muito o que se questionar sobre esse relevante tema e nosso texto aqui serve apenas para ampliar essa questão que vem sendo amplamente discutida, e que inclusive preocupa alguns pais.

Muitos se perguntam e afirmam que não tem condições para isso, e até mesmo que precisam trabalhar. Já outros defendem e acreditam que a educação domiciliar possa dar autonomia a família e ajudar com a insatisfação do ensino atual, que é queixa de muitos pais.

Como se sabe, a educação em casa é a maneira mais antiga usada pelos pais para instruir seus filhos. Os pais sempre se preocuparam em educar seus filhos, ensinar os valores essenciais da vida, formar certos hábitos operacionais e socializá-los de acordo com as exigências do (s) grupo (s) de pertencimento. Porém, educar é algo amplo, e nessa caminhada tão importante as escolas tem sido peças fundamentais para contribuir com esse processo.

Aqui no Brasil, mesmo que tenha sido sancionado o decreto, segue-se no país o ensino proposto pelo MEC - Ministério da Educação, que é a modalidade que segue a Constituição Federal, que define a obrigatoriedade do Ensino Fundamental e Médio.

Há diversos questionamentos sobre o ensino domiciliar. Por exemplo, se uma criança ou um jovem quer ser feliz e ter uma vida saudável, ele não encontrará na escola hoje conteúdos e objetivos que lhe permitam alcançar um humano tão "modesto", porque o passeio escolar é organizado para que eles alcancem conteúdo com pouca ou nenhuma conexão com suas vidas e desafios pessoais. Mesmo que a escola tradicional não desapareça, parece que chegou a hora de repensarmos seus objetivos e conteúdos.

Quais são as razões para aprender em casa, em vez de escola?

Talvez no início os pais pensem em retirar as crianças da escola quando encontram algum problema. Possivelmente, a criança está atrasada para se desenvolver e ainda precisa de ajuda individual.

A professora nem sempre pode estar ao lado de todas as crianças e, portanto, por exemplo, a pequena aluna está ficando para trás cada vez mais em seu aprendizado. 

Ou pode ser que ela seja uma criança muito avançada, ela já entende o assunto e fica ociosa enquanto espera que o professor revise a lição com os outros da turma. Enquanto isso, fica entediada e comete algum problema. Se fosse mais intelectualmente estimulada, não encontraria razão para o mal.

Outras razões apresentadas por aqueles que defendem a educação domiciliar são as seguintes:

  • oportunidade de incluir um sistema de filosofia ou crença em conjunto com outros estudos; 
  • o desejo de proteger as crianças que enfrentam drogas, imoralidade e até as armas que apareceram em algumas escolas; 
  • uma necessidade, seja por alguma doença ou alergia, para removê-los do grupo; 

Muitos defendem que o objetivo não é competir com escolas ou inventar uma nova maneira de instruir crianças. Em vez disso, mostrar que os pais têm total responsabilidade pela educação dos jovens. 

Aqueles pais e mães que já estão dedicados a facilitar o desenvolvimento físico, intelectual e espiritual de seus filhos terão os melhores sucessos nessa tarefa, especialmente quando aprenderem a abandonar sua mentalidade escolar e se permitirem desenvolver um sistema mais natural.

De qualquer forma é o método de ensino que divide muitas opiniões. A maioria dos educadores até afirma que a educação domiciliar possa ser regulamentada, mas somente depois do país resolver seus problemas básicos de educação, o que sabemos que são muitos.

E você? O que pensa disso? Acha o tema polêmico?

E se você procura uma ferramenta que possa auxiliar você na sala de aula, apresento uma plataforma fundamental e que vai te ajudar professor. É o Prova Rápida. Uma plataforma web para gestão, elaboração e correção de provas. São inúmeras as vantagens desta ferramenta. Primeiro, o tempo que você vai economizar. E mais, você elimina a chance de erro causada por correção humana. O que pode ocorrer principalmente quando o professor está diante de uma rotina cansativa e exausta.

Através do Prova Rápida, você terá acompanhamento dos resultados de um aluno. Você pode acessar de qualquer lugar. Além de ajudar na correção, essa ferramenta também permite a criação de um banco de questões. Não é mesmo o máximo?

 

Tags:
prova rápida
educação domiciliar
professores
educação