Professora brasileira foi finalista do Nobel da Educação em 2019!
Maio | 2019

Por Angélica Weise

Em tempos de crises e sombras, boas notícias na área da educação motivam educadores e a sociedade em geral. Mesmo que nos últimos meses o destaque tenha ficado para o corte de verbas na educação brasileira, uma boa notícia se espalhou recentemente. É que uma professora brasileira ganhou destaque internacional ao entrar para a lista dos 10 finalistas do prêmio Global Teacher Prize 2019, considerado o Nobel da educação! Saiba mais lendo o texto.

Brasileira ficou entre os 10 classificados

A professora de tecnologia Débora Garofalo transformou de forma positiva uma escola pública do bairro Vila Babilônia, periferia da Zona Sul de SP. Desde o início do projeto, em 2015, mais de uma tonelada de materiais recicláveis foram retirados das ruas da cidade de São Paulo e transformados em protótipo. É claro que todo esse envolvimento com alunos, comunidade e escola ganhou destaque internacional.

Os alunos deveriam circular pelo bairro em busca de materiais recicláveis. Voltaram para a sala de aula com itens que poderiam ter sido encaminhados à coleta seletiva, como ‘garrafas de plástico pet, saquinhos, caixas de papelão, latinhas de ferro, potes de plástico e vidro em diversos formatos, folhas de papel e papelão, entre outros’. Isso consequentemente os deixou mais motivados a frequentar a escola, e assim poder ir participando das atividades.

Diversos materiais foram produzidos. Entre eles ‘carrinhos com faróis que acendem de verdade, helicópteros com hélices que giram, semáforos com luzes que se alternam’. E não apenas isso, já foi construído um ‘pequeno semáforo, uma máquina de refrigerante, robôs, barata e aranha robóticas, além de soluções para questões práticas da vida’. Que incrível não é mesmo?

“O projeto de robótica com sucata nasceu da vontade de transformar a vida das crianças da periferia aqui da cidade de São Paulo. Eu sempre acreditei, como professora, que a educação só faz sentido se ela puder ser significativa e se ela puder ter esse caráter transformador”, disse Débora em entrevista para a EBC.

Os alunos já retiraram das ruas cerca de 1 tonelada de materiais recicláveis, esse material virou ferramentas e objetos para suas criações. Um trabalho que envolve ensino, teoria, criatividade, prática.

Sobre o prêmio

Débora concorreu com outros 9 professores do mundo todo. De UK, Holanda, Reino Unido, Japão, Argentina, Estados Unidos, Quênia, Índia, Geórgia, e Austrália. O professor(a) ganhador(a) levou para seu projeto a quantia de 1 milhão de dólares.

Mesmo Débora não ter sido a escolhida, ficar entre as 10 finalistas é uma grande honra. Além de se conseguir transformar a realidade dos alunos na escola, o índice de evasão caiu e Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) da escola aumentou.

Importância das atividades extracurriculares na escola

Não basta apenas atividades que os alunos aprendem no ensino obrigatório. O ensino das atividades extracurriculares é fundamental. Porque além de ajudar na fixação do aprendizado, pode agregar novos conhecimentos. Nela se encaixam aulas de dança, teatro, culinária, circo e até robótica!

E não apenas isso! Essas atividades ajudam os alunos a integrar o seu conhecimento com aquelas ensinadas na sala de aula e aplicadas também fora dela. Até porque muitos alunos se questionam de que forma as escolas os preparam para viver fora dela. Se os conhecimentos adquiridos podem ajudar a transformar de forma positiva estes ambientes.

Mesmo sendo obrigatório todas as escolas cumprir a Lei das diretrizes e bases da educação nacional, com organização e diálogo, pode-se inserir atividades que ajudam estes alunos.

Nem sempre é fácil, e dependendo da escola e região, os desafios são inúmeros. Os estudantes estão cada vez mais autônomos e conectados com as novas tecnologias. Por isso, é que as atividades extracurriculares podem melhorar no aprendizado dos seus alunos e fazer sua escola se destacar das outras.

Sabemos que um aprendizado contínuo na mesma escola desperta interesse dos alunos,e faz com que se sintam integrados e não separados do ambiente escolar. As atividades também precisam ser dinâmicas, para que todos os alunos se sintam de fato interessados em aprender determinado assunto.

Com essas atividades, essas aulas são diversificadas e mais divertidas. Além disso, os estudantes ficam mais motivados com o desenvolvimento de habilidades. Dessa forma, eles passaram a ter contato direto com novas ferramentas e interesse por novos dispositivos. 

Uma ferramenta para facilitar a sua vida

Uma das queixas de muitos professores diz respeito a falta de tempo para realizar projetos extracurriculares fora da sala de aula. Mas como vimos no exemplo da professore Debora, com criatividade e um pouquinho de tempo é possível realizar atividades que deixam a rotina escolar ainda mais interessante.

Então se você quer mais disposição e tempo dentro e fora da sala de aula, otimize seu tempo! Uma queixa comum entre muitos professores é sobre a elaboração e correção de provas. Nesse sentido, a tecnologia pode te ajudar! Conheça uma plataforma que vai ajudar você neste processo. Todo professor sabe que a rotina de corrigir provas não é nada fácil. E até mesmo elaborar.

É preciso cuidado para não aplicar as mesmas provas com frequência no decorrer dos anos, para que não ocorram as temidas ‘colas’. Por isso, nada melhor do que poder contar com ajuda da tecnologia.

Assim funciona o Prova Rápida. É uma plataforma web para gestão, elaboração e correção de provas. São inúmeras as vantagens desta ferramenta. Primeiro, o tempo que você vai economizar. E mais, você elimina a chance de erro causada por correção humana. O que pode ocorrer principalmente quando o professor está diante de uma rotina cansativa e exausta.

Créditos da imagem:

Divulgação/http://deboragarofalo.educapx.com/robotica-com-sucata.html

Fonte: https://epocanegocios.globo.com/colunas/Novos-tempos/noticia/2019/03/robotica-ensino-e-sustentabilidade-licoes-de-uma-professora-premiada.html?utm_source=linkedin&utm_medium=social&utm_campaign=post

Tags:
atividades extracurriculares
prova rápida
Débora Garofalo
escola